quinta-feira, 28 de agosto de 2008

VAIDADE MINHA!

VAIDOSO EU? DESTA VEZ, SIM!

João de Castro Nunes, um dos poetas contemporâneos que mais admiro e a quem me refiro neste blogue num cartaz da categoria Literatura com o seu nome no título, dedicou-me um soneto. Claro que é razão para me sentir muitíssimo orgulhoso. Vou transcrever o referido soneto:

“Amor explorado”

Ao Poeta Zé-Manel Polido

Li seus poemas que me impressionaram

pela superação que patenteiam

das circunstâncias várias que geraram

as mágoas que os seus versos alardeiam.

+

Impressionou-me a forma da expressão

bastante original, sem todavia

em termos musicais pôr em questão

o clássico sentido da harmonia.

+

Vê-se que tem poético talento

predominando sobre todo o resto

o seu desencantado sentimento.

+

Em quanto escreve existe um grão de sal,

um fio de humorismo manifesto

que virtuoso faz o próprio mal!

João de Castro Nunes

0 comentários: