sexta-feira, 29 de junho de 2012

Jornal das Letras, Ler, Os meus Livros, as páginas do jornal Público...

PUBLICAÇÕES PORTUGUESAS SOBRE LITERATURA, AO SERVIÇO DE QUEM?

O patriotismo destas publicações culturais é muito duvidoso.

Se o autor não é ídolo da TV - ou figura mediática, até pode ser futebolista - então não importa o que ele escreve ou, pior ainda, o assunto sobre o qual ele escreve...

Li há pouco tempo, depois de ver um grande elogio da crítica, o livro "A Caixa Negra" de Amos Oz (editora D. Quixote, 2a. edição).

Tema: Um casal divorcia-se e, no centro da polémica, está um filho dos dois, chamado Boaz, cuja guarda a mãe não quer perder e por isso aceita até, recusando testes de paternidade, que o pai fique na dúvida sobre se Boaz é seu filho ou não.

Ela casa em segundas núpcias e tem uma filha do segundo marido, a Yafat. Vicissitudes diversas levam ao início de um segundo divórcio em que o pai pretende ficar com a guarda da criança, acusando a mãe de adultério por esta ir apoiar o primeiro ex-marido na fase terminal da sua doença.

O cenário é internacional e a personagem principal de toda a história é o drama da guarda dos filhos de pais divorciados enquadrado pela derrocada da instituição família.

O livro é vedeta nos media e nos escaparates das livrarias. Mas há uma pergunta que não posso impedir-me de fazer: - Por que motivo exatamente estes mesmos temas, quando tratados por um autor português, não motivam uma única palavra desses media nem aparecem nos escaparates das livrarias? Não há uma única palavra... nem de elogio nem de crítica, demolidora que fosse!

O Jornal das Letras, as revistas Ler ou Os Meus Livros, as secções literárias de vários diários de referência, ninguém se preocupa em promover ou divulgar o que é nosso! Assim se defendem os autores portugueses. Assim estas publicações revelam o seu patriotismo! Assim cumprem os seus superiores desígnios de servir a cultura portuguesa!

Por isso vos peço que leiam e avaliem por vós próprios os meus contributos, que assinei como Zé-Manel Polido: a prosa de "Amor, Solidão e Fé" e as poesias de "Amor Explorado", ambos publicados pela Editora Luz da Vida . Não seriam merecedores de alguma atenção?

Zé-Manel Polido

0 comentários: