quinta-feira, 11 de outubro de 2012

LUIS ALBUQUERQUE


Mais um professor da então chamada Secção de Matemática da Universidade de Coimbra, de quem fui aluno quando tirei a licenciatura entre 1958/59 e 1961/62:


LUIS ALBUQUERQUE


Luís Albuquerque era professor de Matemática e, consequentemente, era de esperar que a sua área de investigação e docência fosse a Matemática. Ele foi de facto, no início da carreira, coautor (com João Farinha, um assistente da Faculdade de Ciências, falecido relativamente novo, e que eu já não conheci) de duas boas coletâneas de problemas que nós usámos, como estudantes:
1) João Farinha e Luís Albuquerque: "Exercícios de Álgebra e Geometria Analítica", volumes I e II, Coimbra Editora, Lda. 1947/48;
2) João Farinha e Luís Albuquerque: "Exercícios de Geometria Descritiva", Atlântida, Coimbra, 1951.
Curiosamente, neste último, indica-se uma lista de publicações anteriores de Luís Albuquerque, incluindo um livro de 150 páginas intitulado "Algumas Propriedades dos Conjuntos de Espaços Abstratos", edição da Empresa Guedes, Porto, 1944, e um opúsculo sobre história da Matemática, aos quais não tive acesso.
Como seu aluno lembro-me dele como um homem um pouco frio, embora extremamente educado e acessível: estive, algumas vezes em sua casa. Sublinho que, quando eu era estudante universitário, os professores não tinham gabinetes de trabalho na Faculdade, nem obviamente a legislação exigia -- nem podia exigir -- que os docentes tivessem horários para atendimento dos alunos. Assim, era nos intervalos entre duas aulas que podíamos trocar umas breves impressões para esclarecer alguma dúvida ou pedir indicações bibliográficas. Quando queríamos falar mais demoradamente com algum professor, pedíamos-lhe que nos recebesse em sua casa; é verdade, porém, que só os bons alunos tinham coragem para fazer tais pedidos.
Luís Albuquerque era um homem com uma vasta cultura histórica e, a partir de certa altura, a sua atividade centrou-se essencial, para não dizer exclusivamente, na História dos Descobrimentos, uma área onde a sua ação foi notabilíssima. A obra de investigação que nos legou foi sobretudo nesta área. Dinamizou um Centro de Estudos do Mar e das Navegações que veio a chamar-se Luís Albuquerque quando, mais tarde, Alfredo Pinheiro Marques o dirigiu, mas que, infelizmente, me parece que estiolou em anos recentes.
Apesar dos seus interesses se terem claramente desviado da Matemática, apoiou diversos estudantes no início das respetivas carreiras de investigação. Tinha-se dedicado à teoria das matrizes e teve seguidores que vieram a doutorar-se nessa área como o meu contemporâneo e amigo Graciano Neves de Oliveira, um investigador ativo e prolífico que por sua vez entusiasmou outros e veio a criar uma notável escola em matrizes centrada em Coimbra, mas que ultrapassou fronteiras. Se o Graciano foi pai e obreiro dessa escola, Albuquerque teve nela sem dúvida o papel tutelar de seu avô.
Mencionemos enfim a sua atividade política. Homem de esquerda, foi Governador Civil de Coimbra no pós-25 de Abril, um cargo que, não duvido, ocupou muito do seu tempo e o afastou da universidade no último período da sua atividade como professor.

0 comentários: