sexta-feira, 14 de junho de 2013

Aristides Sousa Mendes versus Salazar

Convite à cidadania


Evento em Cabanas de Viriato
20 Junho 2013

O diplomata português que desobedeceu a Salazar e, quando cônsul em Bordéus em 1940, passou milhares de vistos a cidadãos fugidos à perseguição nazi, é um dos meus “heróis” preferidos.

Basta conhecer a história da sua vida e temos logo uma razão para repudiar a ditadura do Estado Novo!

Portugal deve fazer todo o possível para honrar a memória deste homem. Apesar da crise que estamos a atravessar, devia ser feito um esforço sério para recuperar a casa da sua família em Cabanas de Viriato e transformá-la em museu e/ou centro de interpretação do que foram aqueles anos de guerra na Europa e no Mundo.
É óbvio que não o conseguiremos só com o nosso esforço: mas os muitos descendentes de quem ele salvou, hoje espalhados por diversos países entre os quais os EUA, estão por certo dispostos a ajudar.
Prova disso é a existência da Sousa Mendes Foundation, constituída em 2010, com sede em Seattle, que acaba de organizar uma viagem a Cabanas de Viriato, este mês, no dia 20 de Junho de 2013, aliás com o apoio do município de Carregal do Sal e da sua congénere portuguesa, a Fundação Aristides de Sousa Mendes, constituída há mais tempo que a americana.

Pessoalmente vou associar-me a este evento.

Aproveito para fazer uma proposta que pode ser chocante para alguns. É a seguinte:
A uns vinte quilómetros de Cabanas de Viriato, fica Santa Comba Dão, terra natal de Salazar, o ditador que amaldiçoou Sousa Mendes e toda a sua família. Tal como Roma não destruiu nem as suas catacumbas nem o Coliseu onde tantos gladiadores e tantos cristãos foram mortos em espetáculos de horror e ódio, Santa Comba em nada se desprestigia por criar também uma instituição que seria um museu e/ou centro de interpretação do Estado Novo.

Que ninguém me entenda mal!
A existência de museus da Inquisição não significa que se aceita o papel que a mesma teve no seu tempo, antes pelo contrário, a mensagem a transmitir é aquela que o Japão inscreveu junto a Hiroxima, e que diz apenas:

- “Para que o Mundo não esqueça!”

Sousa Mendes, em Cabanas versus Salazar, em Santa Comba fariam uma só aparentemente estranha parceria num esforço para que não esqueçamos a História.
Dois locais a curta distância que os jovens poderiam visitar para crescerem em cidadania! Já para não falar no papel que tais instituições assumiriam para estimular o turismo na região.

Mais informações em:

http://www.fundacaoaristidesdesousamendes.com/

http://sousamendesfoundation.org/

 

0 comentários: